Esta primavera fizemo-nos à estrada e partimos numa road trip por Espanha.

Há muito que queria conhecer algumas cidades do País Basco, como Bilbau e San Sebastián, e, finalmente, surgiu a oportunidade. São cidades por onde tinha passado há uns anos, sem nunca ter parado para as visitar.

Ainda me lembro de passar por San Sebastián, de carro com os meus pais, quando era pequena, e o que me vem à memória são estradas controladas por polícias de metralhadora na mão e obstáculos no chão para que os carros não pudessem seguir livremente.

Organização da Road Trip

Ao organizar uma road trip há que ter em atenção a alguns pormenores, como os que escrevi no artigo Programar uma Road Trip Acessivel que, certamente, vão fazer toda a diferença.

Desta vez, também tivemos em conta o clima e, por isso, a viagem inicial foi alterada à última da hora. Assim, fizemos o percurso todo ao contrário do que tínhamos estipulado e, em vez de começarmos por Salamanca, começámos por Madrid. E, sem dúvida, foi a melhor opção que tomámos pois os dias de sol e a temperatura amena foram-nos acompanhando.

Assim, o itinerário que seguimos foi: Madrid, Segóvia, Bilbau, San Sebastián, Salamanca.

Madrid

O primeiro destino, que adoramos e já muito batido por nós, foi Madrid. E Madrid estava, literalmente, na rua!

Para além de termos apanhado o fim de semana de eleições legislativas, com comícios e manifestações, deparámo-nos também com maratonas, corridas, ruas fechadas, turistas por todos os lados e, com os primeiros dias de calor que se faziam sentir, estava tudo fora de casa, o que já é normal em nuestros hermanos.

Acho que é esta vida deles que me encanta. Misturámo-nos com a multidão e seguimos juntos, em festa. É sempre tão bom andar por Madrid, descobrir novas ruas, novos bairros, novos espaços… Mais uma vez nos perdemos nas tapas e na gastronomia, que adoramos.

Voltámos, de novo, ao Thyssen-Bornemisza, o nosso Museu preferido, e fomos ver Balthus, a exposição temporária, muito interessante!

Não sei quantas vezes já estive em Madrid e, por incrível que pareça, nunca tinha visitado o Palácio de Cristal que se encontra no Parque de El Retiro. Foi o que fizemos agora. Adoro cidades que não se esgotam e para as quais há sempre uma desculpa para voltar.

Desde Novembro de 2018 que o trânsito está condicionado no centro de Madrid e essa zona está assinalada como “Madrid Central”. No entanto, com o cartão europeu de estacionamento para pessoas com deficiência, é possível passar. Há que ligar, antes, para o número que está no ponto três da página Criterios de Acceso y Autorizaciones da Câmara de Madrid. 

Optámos por não ligar e também não foi necessário já que quase todas as ruas, à volta dessa zona, têm um lugar para pessoas com mobilidade reduzida. Não se paga e é muito fácil encontrar um lugar livre.

Segóvia

Seguimos para Segóvia, uma cidade que ainda não conhecia e que fica a pouco mais de uma hora de Madrid.

Segóvia é uma cidade pequena, bonita e com alguns pontos interessantes para visitar, como o aqueduto ou o centro histórico, ambos Património Mundial da Humanidade, e  o lindíssimo Castelo.

Aqui, existem algumas ruas com inclinações acentuadas pelo que não é fácil para quem se desloca em cadeira de rodas manual e, por isso, é preciso um empurrãozito! Claro que sem a minha melhor amiga teria sido ainda mais complicado mas essa vai sempre comigo.

É impossível não ficarmos impressionados com a magnifica obra que é o Aqueduto Romano que percorre a cidade. São 167 arcos de pedras sobrepostas numa técnica que deixa qualquer um de nós espantado, se atendermos à época em que foi construído. Era assim que se trazia a água da serra até à cidade, mais precisamente ao Castelo.

O Castelo, ou o Alcázar de Segóvia,  parece saído de um filme da Disney. Tal é o seu encanto!

Para entrarmos no Castelo, e não pagarmos nada, nem eu nem o meu marido, foi-me pedido o comprovativo da percentagem de deficiência que me é atribuída. Sinceramente, não costumo andar com ele. Acho que foi a segunda vez que mo pediram mas, pelo sim pelo não, talvez seja melhor colocá-lo na carteira!

Ir a Segóvia sem provar o famoso Cochinillo de Segóvia é quase impossível pois este é o prato típico que aparece na  carta da maior parte dos restaurantes por que passar.

Um dia é suficiente para Segóvia e vale a pena se estivermos de passagem.

Bilbau

Seguimos viagem em direcção ao País Basco, rumo a Bilbau. 

Segóvia- Bilbau são cerca de quatro horas e só a viagem de carro já vale a pena, porque, a partir de certo ponto a paisagem  torna-se espectacular, principalmente, na passagem pela zona do Parque Natural de Gorbeia. Não parámos mas, pelo que pesquisei e, para quem gosta de passeio de natureza, acho que merece uma visita. Segundo li, existem actividades destinadas a pessoas com mobilidade reduzida.

Durante os dias que estivemos em Bilbau tirámos um para visitar San Sebastián, que fica a pouco mais de uma hora de caminho, em Auto-Pista.

Bilbau foi uma surpresa muito agradável. Apesar de, quando pensamos em Bilbau, pensarmos inevitavelmente no Museu Guggenheim, Bilbau é muito mais do que isso. No entanto, foi após a construção do magnifico edifício de Frank Gehry que a cidade se desenvolveu e se voltou mais para o turismo sobretudo nessa zona em que se tornou mais moderna com uma apelativa área de lazer, ao longo do Rio. 

Mas a zona do Casco Viejo também é maravilhosa, com as suas ruas cheias de história e repletas de lojas e bares onde todos param para beber um copo, comer um pintxo e confraternizar.

San Sebastián

Já tinha passado por San Sebastián algumas vezes mas nunca tinha parado. Gostámos tanto que não nos importávamos de ter tirado mais um dia para conhecer melhor esta maravilhosa cidade.

É uma cidade encantadora com uma arquitectura que nos transporta a outras épocas sendo uma cidade onde a influência francesa já se verifica. De facto, a proximidade com França está muito presente tanto na arquitectura como até no próprio estilo das pessoas.

Situada na Baía da Biscaia, a sua localização dá-lhe um enquadramento lindíssimo sendo muito conhecida pelas suas  praias, principalmente pela bela Playa de la Concha, onde encontrámos uns banhistas valentes já que a água devia estar gelada.

Tanto Bilbau como San Sebastián são cidades muito acessíveis com as zonas mais centrais e modernas com áreas pedonais e de ciclovias e sem desníveis nos passeios. É, certamente, o topo em termos de acessibilidades! Fiquei impressionada…

Salamanca

Para finalizar a nossa road trip por Espanha, seguimos em direcção a Salamanca. Há muitos anos que não ia a esta cidade e  já nem me lembrava do quão encantadora é.

Adorei voltar e redescobrir uma cidade arranjada, bem conservada e cheia de vida. Mais uma cidade acessível, no entanto, com alguma inclinação em certas zonas o que não impediu que a explorássemos como queríamos.

Cada rua oferece-nos algo que nos faz parar e apreciar. É uma cidade antiga onde a história se espalha pelas igrejas, catedrais, conventos, praças e tantos outros edifícios emblemáticos.

Não há hora em que não se encontre cheia de vida, seja com turistas seja com estudantes que aí frequentam a conhecida Universidade de Salamanca.

No regresso a casa, optámos por vir por Badajoz já que todo o percurso é feito por Auto-Via, ficando assim mais barato.

Acessibilidades

Uma semana, cinco cidades e 2,400kms depois, cheguei à conclusão que as cidades espanholas estão cada vez mais acessíveis. Sempre defendi Espanha como um dos destinos com melhores acessibilidades e continuo com a mesma opinião. Acho que justifica o grande número de pessoas em cadeira de rodas que se vêem nas ruas.

Cartão Europeu de Seguro de Doença

Durante a viagem tive que ir duas vezes a um posto médico fazer um penso. Em Madrid, pediram-me 120€ e foi aí que percebi que estava num posto privado, claro que não o fiz. Após outra tentativa, que também não resultou, pensei em fazê-lo eu própria. Acabei por fazê-lo em Segóvia num posto público, no serviço de ambulatório, com o Cartão Europeu de Seguro de Doença em que não paguei nada.

Em Bilbau, fui directamente a um destes postos e foi muito fácil e sem complicação alguma. Fiquei, ainda, de conversa com a médica que me atendeu, que conhecia Portugal e se interessou muito pelo meu blog. Foi uma simpatia.

Road Trip por Espanha

Percurso 1 – Badajoz – Madrid: 400Km por A5

Percurso 2  – Madrid – Segóvia: 96,7 km por A-6 e AP-61

Percurso 3  – Segóvia – Bilbau: 356 km por A-1 e AP-68

Percurso 4 – Bilbau – San Sebastiásn: 101 km por AP-8

Percurso 5 – Bilbau – Salamanca: 397 km por A-62

Percurso 6 – Salamanca – Badajoz: 331 km por A-66


Dicas para uma Road Trip por Espanha:

  • Ao fazer uma road trip por Espanha optar por andar em Auto-Vias, são estradas boas, estilo as nossas auto-estradas, e não se pagam portagens.
  • Os lugares de estacionamento para deficientes são grátis em todas estas cidades bastando apresentar o Cartão Europeu de Estacionamento para Pessoas com Deficiência.
  • Não esquecer o Cartão Europeu de Seguro de Doença e, se necessário, dirija-se a um centro de ambulatório público.
  • Na maior parte dos museus ou monumentos, as pessoas com mobilidade reduzida e acompanhante não pagam entrada ou pagam um valor reduzido. Por vezes, é necessário o atestado multiusos como comprovativo.

JustGo!!

Ano da viagem: 2019

Author

Write A Comment

error: Content is protected !!