Segóvia era uma das cidades que queríamos muito conhecer pelo que estava nos nossos planos já há algum tempo e, então, fizemos dela um ponto de passagem na nossa Road Trip por Espanha.

Tínhamos uma ideia do que íamos mas, mesmo assim, foi uma surpresa muito agradável!

O postal de entrada da cidade é o Aqueduto Romano. Trata-se de uma obra magnífica que dá um enquadramento lindíssimo à cidade estando classificado como Património da Humanidade desde 1985, assim como o centro histórico.

Aqueduto de Segóvia

O Aqueduto é, realmente, imponente pela sua grandiosidade mas o que mais impressiona é o estado de conservação desta obra do Império Romano, com séculos de existência. São cento e sessenta e sete arcos construídos com blocos de pedra granítica, colocados de forma engenhosa, em que não é usada qualquer tipo de argamassa estando colocados segundo um equilíbrio de forças.

Cidade Património da Humanidade

O facto de a cidade ser Património da Humanidade e a responsabilidade que daí advém faz com que a sua conservação e manutenção sejam levadas muito a sério. Existe um site, em Espanha, dedicado a todas as cidades com essa distinção assim como o desenvolvimento de um projecto de rotas acessíveis em cada uma delas. Aqui, podemos encontrar informação muito detalhada sobre a acessibilidade de cada ponto de interesse para diferentes tipos de deficiências quer sejam físicos, auditivos ou visuais.

Se quiser, pode seguir o roteiro para Segóvia, aí proposto, e ir acompanhando toda a acessibilidade dos monumentos e atracções por onde passa.

Apesar de pequena, Segóvia é uma cidade com muita história o que faz com que tenha muitos locais de interesse para visitar. Destaco aqui os três principais como sendo o aqueduto, o castelo e a catedral.

Embora tenha achado a cidade lindíssima constatei que não é  o melhor sítio para quem anda em cadeira de rodas, pois as ruas são estreitas e com alguma inclinação. No entanto, não existem muitos carros pelo que é possível andar mais à vontade, sem grandes problemas. As ruas têm, na sua maioria, passeios de piso liso, ou na falta destes um corredor com essa característica, o que facilita a deslocação.

E Segóvia é mesmo uma cidade para se ir descobrindo, percorrendo as suas ruas. É um autêntico museu a céu aberto, principalmente, no centro histórico que se  encontra dentro de muralhas, com uma arquitectura, maioritariamente, medieval e renascentista.

Já chegámos tarde e saímos do hotel quase à hora de jantar. Com o entardecer, o efeito das luzes, em tons de amarelo, deu um tom caloroso e agradável deixando, as ruas muito bonitas. Não pudemos deixar de tirar umas fotos.

Catedral de Segóvia

A Praça Maior estava muito bonita, toda iluminada, rodeada de esplanadas e, ao fundo, a lindíssima Catedral de Segóvia, ou Catedral de Nuestra Señora de la Asunción y de San Frutos. Esta foi a última catedral gótica a ser construída em Espanha, no século XVI, já na época renascentista encontrando-se, também, alguns traços desta. É chamada a Dama das Catedrais devido não só às suas grandes dimensões  como também à sua enorme beleza.

Consulte toda a informação detalhada sobre a acessibilidade da Catedral no site das cidades património.

Para jantar, como não podia deixar de ser, fomos provar o famoso cochinillo al horno, o prato típico da zona, e tivemos sorte pois assistimos à tradição de o desmancharem com a ajuda de um prato, substituindo a faca e mostrando o tenro que é! Trata-se de uma iguaria que ninguém perde quando por ali passa…

Alcázar de Segóvia

O ponto alto do dia foi a chegada ao Alcázar de Segóvia. ´É um Castelo de encantar que parece saído de um filme da Disney. Segundo li, serviu mesmo de inspiração, juntamente com outros, para a criação do Castelo da Walt Disney. Fica num extremo da cidade, no alto de um penhasco, sendo que esta localização o torna ainda mais bonito.

O Castelo pode ser visitado por quem se desloca em cadeira de rodas, em quase toda a área. Todavia, não me foi possível subir à Torre, o que me deixou gande pena pois a paisagem é magnifica como pude ver pelas fotos que o F. tirou.

É possível consultar toda a informação sobre as acessibilidades no site das cidades património.

A visita ao Castelo para pessoas com mobilidade reduzida é gratuita, assim como para o acompanhante, se apresentado o atestado oficial de deficiência.

Passámos pelos principais pontos de atracção de Segóvia, mas mais havia a explorar pois é uma cidade repleta de igrejas, conventos, mosteiros e outros monumentos. Para quem gosta de História, Segóvia é, com certeza, um destino muito apelativo.

Conseguimos uma boa promoção e ficámos hospedados no Eurostars Convento Capuchinos. Trata-se de um antigo convento dos Monges Capuchinhos, de 1637, recuperado e convertido num hotel de design moderno e contemporâneo. Revelou-se uma excelente opção pois apresenta todas as condições de acessibilidade e com o quarto muito bem adaptado.

Em boa hora decidimos visitar Segóvia, onde não me senti completamente à vontade devido às inclinações que apresenta, mas onde fiquei rendida a um tão grande encanto e beleza…

JustGo!!

Author

Write A Comment

error: Content is protected !!