Turismo Acessível

 

O turismo acessível procura proporcionar serviços a cidadãos que tenham alguma limitação, deficiência ou incapacidade seja ela permanente ou temporária.

Todos nós enfrentamos, ao longo da vida, diferentes situações de mobilidade, como sendo crianças, seniores, obesos, grávidas, pais com carrinhos de bebé, etc.

A população envelhecida e a sua melhoria da qualidade de vida leva a que este segmento de mercado tenha aumentado e procure, cada vez mais, as viagens como meio de lazer e ocupação do tempo.

A acessibilidade no turismo permite, assim, o acesso e utilização de equipamentos por todas as pessoas, quer tenham mobilidade reduzida ou não.

Promove-se, deste modo, a inclusão de todas as pessoas em actividades turísticas e de lazer, independentemente de alguma limitação física ou outra.

Neste âmbito, os princípios do Design Universal, ou Design para Todos, são uma ferramenta fundamental no desenvolvimento e implementação de soluções que servem todos.

Com a revogação do Decreto-Lei n.º 123/97, de 22 de Maio, surge o Decreto-Lei nº163/2006, de 8 de Agosto, que define o regime da acessibilidade aos edifícios e estabelecimentos que recebem público, via pública e edifícios habitacionais.

A 4 de Outubro,de 2017, entrou em vigor o Decreto-Lei n.º 125/2017 que  vem alterar o Decreto-Lei n.º 163/2006, de 8 de Agosto.  O objectivo desta alteração é que se mantenha o controlo sobre a adaptação dos edifícios, estabelecimentos e equipamentos públicos, de acordo com as normas técnicas de acessibilidade, uma vez que o prazo de 10 anos estipulado pelo Decreto-Lei n.º 163/2006, terminou a 8 Fevereiro de 2017.

Existem muitas opções de como adaptar os espaços sem gastar muito dinheiro e mostrando que essa adaptação pode ser efectuada com estilo e design apelativos. O” acessível” pode ser bonito, ter estilo e passar despercebido, servindo assim todas as pessoas.

error: Content is protected !!